Psiquiatria

Dr. João da Cruz Santos

Médico Psiquiatra no Centro Hospitalar do Oeste - Unidade de Caldas da Rainha, onde desempenha funções no âmbito da Consulta Externa, Psiquiatria de Ligação e Psiquiatria Forense.

Concluiu o Internato Médico da especialidade no Hospital Distrital de Santarém com a classificação de 19,6 valores (2011-2015), local onde desempenhou funções até Setembro de 2017 na Unidade de Internamento de Doentes Agudos, na Consulta Externa, no Serviço de Urgência, na Unidade de Hospital de Dia e na Unidade de Psiquiatria Forense.

Realizou estágio específico em Perturbações do Humor no Hospital Sant'Andrea, em Roma (2015). Pós-Graduação em Terapias Cognitivo-Comportamentais pelo Instituto CRIAP (2013-2014). Foi membro da Direcção da Associação Portuguesa de Internos de Psiquiatria (APIP) no biénio 2013-2014.

Tem como principais áreas de interesse: doença bipolar e perturbações do espectro afectivo, depressão resistente, estados mistos e psicoeducação.


A Psiquiatria

A Psiquiatria é a especialidade médica que se dedica ao estudo científico, diagnóstico e tratamento das doenças mentais, lidando de perto com o sofrimento humano, nomeadamente situações de perturbação das emoções, do pensamento e do comportamento.

Não há uma fronteira claramente definida entre saúde e doença mental, mas a Organização Mundial de Saúde (OMS) realça que não existe saúde sem saúde mental.

Todas as pessoas têm crenças acerca das doenças psiquiátricas, que na maior das vezes não correspondem à realidade, sendo motivo de incompreensão e estigma. Importa perceber que cada pessoa é única e que a diversidade não representa uma anormalidade, mas antes uma característica da humanidade que favorece a evolução.


A Consulta de Psiquiatria

A Psiquiatria actua em situações clínicas muito distintas e com diferentes graus de intensidade, incluindo as perturbações de ansiedade, depressão, doença bipolar, psicoses, esquizofrenia, dependência de substâncias, demências, entre outras. As perturbações psiquiátricas podem surgir em qualquer pessoa e afectam mais de 20% da população portuguesa.

O diagnóstico é realizado com base numa entrevista clínica conduzida por um médico especialista especificamente treinado para o efeito.

Assim, uma avaliação completa, cuidada e rigorosa é fundamental para o diagnóstico e planeamento adequado do tratamento, no contexto de uma relação de empatia e proximidade em que o doente deve ser parte activa na tomada de decisão.

Hoje em dia os tratamentos disponíveis permitem que a maioria das pessoas que experiencia problemas de saúde mental tenha uma vida normal e equilibrada, ficando aptas a desempenhar as suas funções profissionais e quotidianas. Muitos pacientes são mesmo pessoas com grande capacidade e criatividade.

A medicação permite corrigir desequilíbrios químicos no cérebro que geram e perpetuam os sintomas, sendo também um instrumento fundamental para diminuir a vulnerabilidade biologia e prevenir as recaídas.

Outros aspectos do tratamento são igualmente importantes e incluem psicoeducação, estratégias de gestão de stress e adopção de hábitos de vida saudável. O recurso a uma psicoterapia estruturada pode também estar indicado em diversas situações.